ANSA / FIDIC
CARF Afasta a Obrigatoriedade do Lucro Real às Securitizadoras de Ativos Empresariais e Reconhece a Ilegalidade do Parecer Normativo 05/2014

CARF Afasta a Obrigatoriedade do Lucro Real às Securitizadoras de Ativos Empresariais e Reconhece a Ilegalidade do Parecer Normativo 05/2014

Uma das mais relevantes vitórias jurídicas do setor de securitização de ativos empresariais foi recentemente decretada pelo CARF. Em sessão realizada em junho deste ano, a 1ª Turma Ordinária da 3ª Câmara do Conselho, por maioria, reconheceu a ilegalidade do Parecer Normativo COSIT 05/2014, por julgar inexistir previsão legal para a imposição do regime do lucro real às securitizadoras (Acórdão 1301-003.934, Processo 10920.723057/2017-17). Trata-se do primeiro pronunciamento do Conselho sobre esta questão. 

Desde a edição do Parecer Normativo 05, de 14 de novembro de 2014, que alterou o critério jurídico adotado pela Receita Federal sobre a matéria, avolumaram-se as notificações da Receita Federal em face aos contribuintes do setor que optavam pelo regime do lucro presumido. A fundamentação jurídica adotada nesses casos concentrava-se na determinação do Parecer, no sentido de que, in verbis, “as pessoas jurídicas que exploram a atividade de securitização de ativos empresariais estão obrigadas ao regime de tributação do lucro real, por força do disposto no art. 14, VI, da Lei nº 9.718, de 1998, e das demais, por disposição expressa do inciso VII”.

Os fundamentos adotados pelo CARF, na oportunidade, não destoam daqueles reclamados pelos contribuintes, consignado o relator que o “[...] Parecer Normativo n. 5/2014 inovou ao impor às securitizadoras de ativos empresariais a limitação ao lucro real que até então é imposta exclusivamente às empresas de factoring [...]”. Concluiu, com base no princípio da segurança jurídica, que na medida em que “[...] tal inovação implica em nova obrigação tributária e que acarreta no aumento da carga tributária, então, é imperioso que haja lei stricto senso nesse sentido”.

Apesar de a decisão do CARF não representar o sepultamento do Parecer Normativo 05/2014, já que a decisão, não ostentando eficácia vinculante, não retira o ato do ordenamento jurídico da Administração Tributária Federal, o cenário passa a ser de otimismo. É de se esperar, afinal, que o pronunciamento do Conselho venha a exercer influência nos órgãos judicantes que se irão analisar a questão, inclusive sobre o Tribunal Regional Federal da 1a Região, que julgará recurso de Apelação da ANSAE/FDIC, no âmbito de ação coletiva proposta com a finalidade de ser declarada a ilegalidade do referido ato normativo. 

 

Ricardo Anderle

Assessor jurídico da Ansae
Doutor em Direito Tributário
Ex-conselheiro do CARF


Publicado em 15/08/2019 08:00:00

Leia também:

Análise do volume diário de operações nos FIDCs sob gestão da TERCON ASSET após COVID-19

Análise do volume diário de operações nos FIDCs sob gestão da TERCON ASSET após COVID-19

Conta vinculada (escrow account) e o direito de resguardo do patrimônio dos Fundos de Investimento frente à penhora indevida.

Conta vinculada (escrow account) e o direito de resguardo do patrimônio dos Fundos de Investimento frente à penhora indevida.

Adiado o prazo para implementação das medidas determinadas pela Instrução CVM 848/2020 para 1º de outubro.

Adiado o prazo para implementação das medidas determinadas pela Instrução CVM 848/2020 para 1º de outubro.

Receba novidades

ANSAE/FIDC

Quem é a ANSAE/FIDC?

A ANSAE/FIDC é uma entidade de âmbito nacional que busca aprimorar o conhecimento e atender as necessidades de todas as Securitizadoras de Ativos Empresariais no Brasil.

Para atingir este objetivo a ANSAE/FIDC necessita da participação de todas as empresas do setor. Com sua participação, iremos estreitar o relacionamento entre as entidades governamentais a fim de interagir na regulamentação de todas as atividades.

Participe! Com o seu comprometimento vamos todos melhorar as condições de nossos negócios.

Atendimento

Receba informativos com novidades em relação ao mercado de Securitização.

Jurídico

Além das orientações jurídicas, tenha acesso as circulares normativas de orientação legal, técnica, jurídica, tributária e diversas informações relevantes ao setor.

Capacitação

Participe dos cursos técnicos, onde você recebe Orientações Técnicas sobre: Estruturação, Contabilidade e Tecnologia da Informação.

Eventos

Participe de eventos como palestras, workshop, etc. promovidos pela ANSAE/FIDC.

Eventos

Saiba como Associar-se!

Complete os dados no formulário abaixo e receba mais informações de como associar-se e seus benefícios.

Dados do responsável:

Dados da empresa(opcional)


Parceiros